Lady Val

Lady Val

BEM VINDOS!

"Sou de onde o vento me levar. Nos quatro cantos do mundo
Sempre vou estar *Poema" "As Bruxas"

domingo, 29 de abril de 2012

A Simbologia das Deusas Mágicas


Ao longo dos séculos, a imagem mítica do 'feminino' evoluiu muito. Primeiro foram as deusas paleolíticas, depois Isthar na Mesopotâmia, ísis no Egipto e as deusas do mundo clássico... sem nunca ocupar o seu posto original. O mito da deusa perdeu-se e a divindade masculina foi destronando o seu papel. Agora que os modelos do masculino e do feminino se confundem, torna-se necessário conhecer profundamente qual a natureza da antiga deusa-mãe. Uma deusa mágica rege cada mês do ano. Ela descobre-nos o nosso autêntico 'eu' e, o que é mais importante, o trabalho interior a realizar para alcançar a felicidade segundo esta... Desde os tempos mais remotos da humanidade que o papel das deusas esteve sempre relacionado com a força feminina que interveio na criação do Céu e da Terra. Segundo a cultura, a religião ou a raça, umas falam de virgens, outras da união do yin e do yang (sendo o yin a parte feminina da criação), do eterno feminino divino, da grande 'mãe', da criadora... Há inclusive quem reconheça uma parte feminina nascida de Deus e esta divindade é denominada 'deusa'. Esta emanação feminina encerra todos os atributos do Universo: criação, destruição, transformação, protecção, amor, vento, chuva, etc. Nestes tempos de ruptura de modelos e de respeito pela voz das mulheres, a deusa levantou-se do silêncio imposto por certas culturas e religiões e deu lugar a estudos não só de índole espiritual, como também de outras ciências como a antropologia, a sociologia, a psicanálise, a literatura, etc. Isto permitiu descobrir que aquilo em que se acreditava como mito é ao mesmo tempo uma parte muito real do nosso mundo quotidiano. Este sagrado feminino representado pela deusa convida-nos a tentar alcançar um mundo mais rico e equilibrado. A força espiritual que advém do eterno feminino divino, honrado para todo o sempre, permite-nos aproveitar, durante o ano, não só a sua protecção, como também a sua sabedoria quotidiana para fazer do dia-a-dia uma experiência de motivação e estímulo. Isthar rege Janeiro Recebemos um novo ano e com ele a esperança de transformação, produtividade e fecundidade. Isthar, senhora da vida, dá-nos as boas-vindas e inspira-nos a sonhar, a planear, a colocar metas, deixando para trás o que cremos estar a impedir o nosso avanço pelo novo ano. Este mês, a deusa manifesta--se com duas caras, que olham para o passado e para o futuro ao mesmo tempo. Representa-se com a lua fria, chamada a lua da renovação da terra. Na Antiguidade semeava-se o trigo nesta época como promessa de abundância e fertilidade para o ano. As suas recomendações:

Nenhum comentário: