Lady Val

Lady Val

BEM VINDOS!

"Sou de onde o vento me levar. Nos quatro cantos do mundo
Sempre vou estar *Poema" "As Bruxas"

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

OS CELTAS E AS ARVORES SAGRADAS



Azevinho


Para os celtas, o azevinho era considerado um dos reis das florestas. Ele reinava juntamente com "seu irmão", o rei carvalho, e partilhavam o mesmo trono, porém, cada um reinava a metade de um ciclo anual. 
 
Álamo 

Um dos mais conhecidos é o gênero "Populus Tremula". Ele possui este nome porque suas folhas tremem mesmo quando não parece haver vendo ou brisa .Os antigos celtas acreditavam que podiam ouvir o que os ventos  diziam através das folhas dos álamos, trazendo mensagens e profecias..

Da mesma forma que o Teixo, o álamo também está associado ao mundo subterrâneo. Ambos têm raízes invasivas que podem se tornar  muito profundas, daí a relação de ambos com o submundo.

Amoreira Silvestre

Ao contrário da amoreira comum aqui dos trópicos, do gênero "Morus", a amoreira silvestre, ou amora sarça, pertence a um outro tipo de gênero, que é o "Rubus". São muito parecidas, com frutos praticamente idênticos, porém, as amoreiras silvestres possuem espinhos, embora pequenos, em grande quantidade.

A videira, como a amoreira são muito semelhante, principalmente quando se trata na fabricação do vinho que era tão apreciado pelos celtas.

A amoreira, assim como a videira, apresenta os frutos em três estágios: verde, vermelho e preto. Estes estágios têm conexão com a deusa tríplice em suas três faces: donzela, mãe e anciã.


Amieiro

O amieiro muito utilizado pelos antigos celtas na fabricação de barcos.

Diziam que o amieiro era encantado e que podia jorrar sangue pois esta seiva era, por vezes, utilizadas por alguns herois para pintarem seus corpos antes de irem para as guerras. Eles acreditavam que o sangue do amieiro lhes traria proteção e vitória nas lutas.


Betula

Famosa pelo seu magnífico tronco, a Betula pendula, era uma das mais utilizadas nas práticas mágicas. Ela marca o início, por isso, o calendário celta das árvores se inicia com bétula, e era uma tradição a confecção de berços utilizando sua madeira. Diziam que assim as crianças estariam protegidas, já que se tratava de uma árvore mágica e poderosa que quebrava diversos feitiços. 

As vassouras eram feitas com cerdas de bétula e, ao varrerem as casas, acreditavam que estavam limpando o local das más energias e dos maus espíritos. Eram utilizadas também como cobertura nos telhados.
Também era chamada de "Deusa Árvore", ou,"Senhora dos Bosques". 
A casca fina, que se desprende facilmente da árvore, tem diversos usos e talvez seja por isso que ela esteja ligada à transformação, pois seu tronco está em constante renovação. 


Carvalho 
Conhecido como "O Rei das Florestas",  Nos bosques de carvalhos, os celtas costumavam realizar seus rituais. A própria palavra "Druída" tem como tradução  "aquele que tem o conhecimento do Carvalho"


Giesta 

Trata-se de um arbusto de flores douradas, bastante. Ela é conhecida também como: "Vassoura de Bruxa".

De acordo com 'Graves', o Ogham que corresponde a esta espécie é o "ONN" e ele pode designar tanto a Giesta, como o Tojo (muito parecido com a giesta porém com muitos espinhos). 



Macieira
Muito comum nas cerimônias do Samhain, DEVEMOS  tomar a cidra de maçã para auxiliar nas viagens astrais e abrir as visões.


Salgueiro (Chorão)


É uma árvore que está intimamente ligada às bruxas, inclusive, a palavra "Witch" deriva de "Willow" (salgueiro em inglês). Está também ligada à Lua e a Água

Os celtas veneravam o salgueiro Para eles, esta árvore era considerada uma grande fonte de inspiração de sonhos, de poesia, de música e de encantamentos.


Na Irlanda, o salgueiro toma o seu lugar como uma das "sete árvores sagradas do bosque da Irlanda" - ao lado da bétula, da maçieira,  do amieiro, do azevinho, da aveleira e do carvalho (esta lista, de acordo com Robert Graves em seu livro " A Deusa Branca "). 



Sabugueiro

O Sabugueiro também é uma árvore  associada às bruxas, de modo especial, às bruxas  mais velhas.

Na Europa Antiga, eram plantados nas frentes das casas para impedir a entrada de males e, nas tumbas, para protegerem os mortos. 




Sorveira
No Brasil ela é mais conhecida como 'Sorva' e é exatamente da mesma família da "Sorveira Brava" (Sorbus aucuparia), cultuada pelos celtas antigos, só que a espécie encontrada aqui é a Sorbus domestica.
Eram feitos incensos com suas folhas e frutos e, os celtas a tinham como uma árvore de proteção e era usada para quebrar encantamentos. 

Pinheiro

Venerado pelos celtas e associado ao nascimento. O Pinheiro também era considerado a árvore da vida, por estar sempre verde, mesmo sob um rigoroso inverno de gelo.

Está ligado à força, à esperança e à paciência. 

Pilriteiro

Também chamado de Espinheiro-branco, estava relacionado à proteção, tanto psíquica como espiritual e as fadas habitavam os fechados arbustos de Pilriteiro.




Teixo

O Teixo é uma árvore associada à morte ou à imortalidade. 
Os antigos celtas consideravam a sua madeira a melhor para se esculpir, por sua durabilidade e elasticidade


Aveleira
 
A aveleira muito comum naslendas celtas. Carregar um cajado de aveleira era um sinal de grande autoridade, e as varinhas de aveleira eram as favoritas para os rituais mágicos, 

A árvore está relacionada ao número nove, porque dá frutos após nove anos. Nove é o número da sabedoria e do conhecimento.




Brocéliande ou a "Floresta de Merlin".


Floresta da Brocelianda, Rennes, França - A Bretanha, no oeste da França, é uma região rica em lendas e mitos de magos, druidas e cavaleiros. Uma região ideal para receber a Floresta da Brocelianda, suposto palco das aventuras dos Cavaleiros da Távola Ronda e todas as lendas com o Rei Artur e o Mago Merlim
Foto: Pays Touristique de Brocéliande/Divulgação 



 Perto da fonte da eterna juventude, o túmulo de Merlin, resto de um dólmen, é ainda visível

Bretanha é uma região da França com fortes e antigas tradições. Os Bretões se mantiveram fora do domínio francês até 1532 e ainda mantém as crenças e costumes dos celtas, antigos habitantes da França.








Pays de Brocéliande  é um lugar mágico e encantado e uma das áreas mais místicas e legendárias da França. Trata-se de uma floresta que hoje abrange cerca de 7.000 hectares, onde se acredita que os Cavaleiros da Távola RedondaRedonda e o Rei Artur vagavam errantes a procura de um Castelo Mágico Invisível. Este local é conhecido como Fôret de Paimpont ou Fôret deBrocéliande...


A Tumba do Mago Merlim, um local dos antigos celtas, datado de 4000 ou 5000 anos, construído em função de correntes cósmicas. Acredita-se que o Mago Merlin foi enterrado neste local. 




 Há neste local uma fonte da juventude cuja água acredita-se apresentar poderes para curar doenças crônicas. Em épocas passadas, os antigos celtas construíram neste local um hospital e uma escola.

 


 
 
O Carvalho da Guilhotina (Chêne à Guillotin) é o maior carvalho da França, com 9,65 metros de circunferência, 20 metros de altura e uma idade de aproximadamente 1.000 anos. Recebe este nome estranho porque diz a lenda que os fugitivos da Revolução Francesa se abrigavam nele para fugir da guilhotina.




 
Para os celtas e seus sacerdotes denominados de druidas, o carvalho era uma árvore sagrada.



Nenhum comentário: